Hecatombe

by Plague Rages

supported by
/
  • Streaming + Download

    Includes unlimited streaming via the free Bandcamp app, plus high-quality download in MP3, FLAC and more.
    Purchasable with gift card

      $7 USD  or more

     

1.
Intro 02:00
2.
Aqui a esperança é a primeira que morre!!! Um organismo vivo e podre por completo Anula qualquer suspiro de resistência Direitos violados, rotina ingrata Alienação vendendo imagens fantasiosas Herança maldita da ditadura Herança maldita do coronelismo Herança maldita das capitanias Herança maldita da grande colônia Eterna colônia de terceiro mundo Vivemos de migalhas enquanto assistimos A riqueza indo embora em cofres mantidos Pelo câncer eleito, o carrasco moderno Sem perspectiva nenhuma de melhora Aqui a esperança é a primeira que morre!!
3.
Ignorando anos de evolução Regredindo ao estado de alienação Sufocando a nossa voz Atropelando as próprias leis Estamos beirando o risco do abismo Somos bandidos, perdidos, sem cristo Nos transformam em monstros sem pudor Por não vivermos sob suas leis Por trás de discursos de injustiças Ganham a confiança de seus fiéis Todos iludidos Estamos perdidos
4.
Isolamento total Discussões sobre poder Assassinatos sem motivo A vingança te alcançará Mentiras e ilusões Te fizeram sofrer muito Vingue-se do seu algoz Descarregando sua raiva Se você tiver a chance De mudar algo na vida Você o faria mesmo que Prejudicaria alguém? Você viveu anos sob Uma grande mentira Você foi iludido por Uma loucura insana
5.
Quanta certeza você tem? Quantas verdades incontestáveis você defende? Quanto seus ideais interferem em suas conclusões? Quantas variáveis você ignora por convicção?
6.
Paralisia 01:04
Falta de estudo, excesso de ódio Senso equivocado de justiça Conservadorismo que nos prende ao passado Mídia que mente e contamina Preguiça mental, paralisia Condenando vidas à dor e à apatia Corja assassina, de privilegiados Sistema corrupto, podre e blindado Histeria coletiva de caça às bruxas Heróis de mentira e suas carapuças Distúrbio geral, paralisia Condenando vidas à dor e à apatia
7.
Seguem subindo Seguem invadindo Contaminando o executivo com sua moral religiosa Retrógrada e insensata, excludente e assassina Caminhando sobre a fé alheia sem nenhum escrúpulo Mentem e enganam, distorcem e manipulam Sua ascensão é uma ameaça Às liberdades individuais Um conluio de reaças Fazem de deus seu capataz A fé movendo montanhas de dinheiro Jesus crucificando o povo brasileiro
8.
Meias verdades, discursos confusos A tela distorce o foco dos rumos Interesses à flor da pele Não há no que acreditar Condicionados desde sempre A nunca questionar Um ciclo de mentiras que nunca irá acabar Não há um mártir para nos salvar
9.
Sangue Real 00:08
Seu sangue real não te faz especial
10.
Uma bala no peito para aliviar a dor Um futuro roubado em instantes de horror A tragédia oculta num beco sem saída Um rosto já sem vida desconhece alternativas O sangue estagnado O crime escancarado Sempre banalizado E entregue ao descaso Uma prévia do medo Que ainda está por vir Uma vida de sofrimento Preconceito sem fim Sem forças pra poder fugir dali Minutos são como horas Escrava de um convívio hostil Condenada em seu corpo Os sonhos de uma vida normal Terão seu fim às margens da moral Os sonhos de uma vida normal Terão seu fim às margens da moral
11.
Ódio concentrado Contra toda a forma De opressão sofrida Durante vários anos Prestes a explodir E contra atacar De uma só vez Quem lhe maltratou Você chegou ao seu limite e agora Precisa por para fora Toda a sua raiva
12.
Sou um rei atrás do teclado Sou a razão e a verdade absoluta Sem temor algum a represálias Sou o juiz da minha própria conduta Engodo virtual!!! Crio um mundo sem consequências Ponho o ego num altar Vivo uma vida de aparências Pra fugir da minha própria miséria Engodo virtual!!!
13.
Povo Sofrido 00:50
Nunca falta verba Para salários de políticos Nunca falta dinheiro Para suas safadezas Porém as verbas da Saúde e educação Sempre são cortadas Perjurando o povo Por que ninguém Se revolta contra isso? Por que ninguém Cobra as autoridades? Aumentos de impostos So atinge as classes Menos abastadas Da população
14.
Legalize 00:58
Focado no seu preconceito Impregnado de mentiras Em meio à um mar de interesses Se afogando nos seus dogmas Mais um sermão Sem cognição Um tabu preso ao passado Blinda sua hipocrisia Julga seu vício adequado E os outros, criminaliza Outro sermão Sem cognição Faz-se razão Sem explanação Enquanto sentencia mais um usuário Discursa com seus poros exalando álcool E qual droga livre é mais nociva?
15.
É muito fácil se isentar Pagar de bom moço e não se preocupar Acomodado em seu papel de macho alfa opressor Considerando qualquer esforço um grande favor Sem divisão de responsabilidades Aborto paterno, não existe igualdade Pagando pensão pra não ir para a cadeia O bom moço acredita em sua própria mentira
16.
Ratoeira 00:24
Armadilha armada para atrair a atenção do povo Que cegamente segue a caminho do seu fim Sem nem pensar que aquilo no futuro irá Lhes custar o preço de sua liberdade Aceitando o destino partem para as ruas Idolatrando seu algoz que os mata lentamente
17.
Como cobrar empatia de alguém Que nunca passou necessidade alguma? Um sentimento que deveria ser intrínseco à noção de humanidade É totalmente ofuscado pela experiência de vida O foco nunca foi Se preocupar com o próximo É só Acumular e prosperar Como se colocar no lugar Do outro ao tomar decisões Que vão interferir diretamente No seu próximo carro/viagem/casa? (próximo carro/viagem/casa?) Acumular e prosperar Egoísmo reina!!! "Estou aqui porque mereço!" Segue mentindo a si mesmo Tentando justificar seus privilégios Mantidos pelo suor dos outros.
18.
Hecatombe 00:15
O mundo Em caos Assite Sua hecatombe!!!
19.
Sustentando um sistema Feito para perpetuar A distância entre as classes Sem ninguém questionar Seguem o jogo… Se valendo de um discurso De recompensa pelo esforço Ignorando a realidade De quem nunca tem a chance De mudar o jogo E seguem o jogo… Te fazem acreditar Que quem tem mais tem que ganhar mais Te fazem aceitar Que quem tem mais tem que ganhar mais
20.
Quadrilhas de homens de bem Engravatados protegidos acima da lei Linhagens de peritos em extorsão Sugando das veias até a exaustão O teatro midiático distorce a verdade Holofotes focados em quem lhes convém As cortinas encobrem as podres faces Te vendem heróis e vilões inventados Nessa trama complexa o terror se instaura Quem vive o drama se cala e conforma É tanto absurdo que parece comédia Não fosse o pesar e o sofrer da platéia
21.
Mais um inocente morto ao chão Vítima da intolerância e covardia Mais sangue alheio em suas mãos Que se rende à indiferença e apatia Homofobia assassina!!!
22.
Acordou, sorriu pra vida Entrou no carro fruto de seu suor Partiu rumo ao seu trabalho Conquistado após anos de estudo Sempre muito bem alimentado E acompanhado pelos pais Com foco na família e propriedade Segue feliz... Apontando o dedo Julgando e subjugando Ridicularizando diferenças Se impondo e acusando Fazendo do mundo um espelho Da sua imagem podre Sempre de bem Cidadão de bem!!
23.
Apatia 00:11
Mau comum Apatia Sentenciando nossas vidas!
24.
Semente da maldade Foi plantada pelos Donos do poder Contra a democracia Acabar com a educação Impedir as pessoas De pensar e questionar São suas metas As pessoas que Detém o poder Sempre querem Mais poder
25.
Especulação Uma quadrilha organizada Precarização Faz parte da jogada Com um discurso batido De aprimoração Só mais um deserviço À população Sem garantia e sem debate Privatizam sem pudor Se fracassar não tem problema A dívida sempre é perdoada
26.
Intolerância e contradição Discurso fácil pra ganhar atenção Dia após dia, o ataque constante Atinge e desgasta, distorce e corrói Dia após dia, mentira incessante Atinge e desgasta, distorce e corrói Entorpece os sentidos, um a um nos destrói
27.
Recursos naturais esgotados A terra reduzida a pó Nada sobrou do que um dia Foi um planeta verde A guerra por migalhas Já foi declarada Sobreviventes famintos Se matam para comer Enquanto os milionários De longe a tudo assistem Se divertindo Com as batalhas por comida
28.
Se diz libertário mas só Está nessa pela música Se diz libertário mas apoia Preconceito e discriminação
29.
Humanos maltratados Degradados e mutilados Atropelados pela marcha Desenfreada do progresso Os humanos sao forcados A se encaixar nos padrões Sob injustas condições Criados para gerar lucro E por mais que trabalhe Que abra mão da sua vida Nunca será o bastante Para os donos do capital Enquanto não morrer De tanto trabalhar Os gananciosos irão Te explorar para lucrar
30.
Ainda não consigo entender Os padrões de hierarquia social Aos quais temos que nos submeter Sustentando uma lógica irracional Aceitamos o absurdo Como algo incontestável Em prol de um mecanismo Que me torna indesejável Criando privilégios, aumentando seu status Se tornam semi-deuses com sua farda e ignorância Direitos do povo, obrigações do soldado Inventam uma divisão que justifica sua violência “Ao te mostrarem o distintivo Abaixe a sua cabeça!!!” Ao te mostrarem o distintivo Não abaixe a sua cabeça!!! Não abaixe a sua cabeça!!! Não abaixe a sua cabeça!!!
31.
Idiotocracia 00:35
Nasceu e viveu em um mundo de mordomias Teve sempre tudo Aquilo que quis Nunca realizou nada Em sua vida de rei Tudo o que você tem Foi simplesmente dado a você Hoje você ocupa o lugar Daqueles que tiveram Que lutar muito em Suas humildes vidas Você sabota a esperança De vida daqueles que realmente Mereciam estar em uma Posição melhor na vida E mesmo assim você Não deixa de ser arrogante Pisando nos outros e Destruindo suas esperanças
32.
Cada dia que passa Os discursos de ódio Tornam se piores e E mais inflamados Eles desejam a morte De todos aqueles que Pensam diferentes deles E não seguem suas ideias Pessoas que se julgam Melhores do que as outras Radicais de direita se acham A raça superior no planeta Eles não querem A melhora do mundo Querem somente exterminar Quem é diferente deles
33.
Você criou mentiras Nas quais só você acredita
34.
Todo o sofrimento Todo o tormento Sofrido por você Deve ser eliminado Desista daquilo que Lhe causa dor Desista daquilo que Lhe traz pavor Você não é obrigado A viver com aquilo Que te faz mal Nada justifica isso
35.
Um retrocesso atrás do outro Cavando fundo o próprio poço Prepotente raça humana Ignorante raça humana Faz-se o fim e o princípio Nega e abraça sua ruína Hecatombe!!!

about

Nesta gravação Plague Rages era: Douglas - Bateria • Kiko - Baixo e Vocal • Mané - Guitarra • Pescoço - Vocal

In this recording Plague Rages was: Douglas - Drums • Kiko - Bass & Vocals • Mané - Guitar • Pescoço - Vocals

credits

released April 21, 2021

Gravado em Abril/2017 no Estúdio Duna (São Paulo/SP).
Mixado e masterizado por Kiko Bueno.
Arte da capa por Douglas Correia.

Recorded at April, 2017 in Estúdio Duna.
Mixed and mastered by Kiko Bueno.
Art cover by Douglas Correia.

license

all rights reserved

tags

about

Plague Rages São Paulo, Brazil

Grindcore from São Paulo/SP - Brazil since 1996.

contact / help

Contact Plague Rages

Streaming and
Download help

Report this album or account

If you like Plague Rages, you may also like: